segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Rumo a outras paragens...


Preciso ser um outro 
para ser eu mesmo 

Sou grão de rocha 
Sou o vento que a desgasta 

Sou pólen sem inseto 

Sou areia sustentando 
o sexo das árvores

Existo onde me desconheço 
aguardando pelo meu passado 
ansiando a esperança do futuro 

No mundo que combato morro 
no mundo por que luto nasço 

(Mia Couto - In "Raiz de Orvalho e Outros Poemas")

E há esta tal de despedida, que não sei bem para que serve, mas sempre me lembra do que teimo em esquecer...

Tempos iluminados esses que passamos aqui, juntos, construindo letras e tecendo comentários em uma leitura mútua e peculiar. 

Foi uma delícia escrever cada verso, cada linha, e esperar a visita de vocês, que nunca deixaram de me incentivar para que eu expressasse o melhor que há em mim. 

Dois anos e meio de blog. O primeiro espaço MEU que realmente levei a sério. E que não demorou muito para passar a ser NOSSO... 

Eu, aprendiz de tantas críticas construtivas e elogios gentis que vocês me trouxeram em todo contato. 

Agora, é chegada a hora de vislumbrar novas paragens, aportar em outros cais, prosseguir por diferentes estradas. 

Porque realmente acredito que, nas mais diversas situações pelas quais passamos na vida, o que é essencial sempre FICA. 

Neste caso, é só o local de encontro que muda... Os amigos, as letras, o carinho, a troca, o espírito colaborativo... Todos esses elementos continuam - mais vivos do que nunca!

Então é isso, amigos queridos... A dançarina partiu para buscar novas melodias que embalem o seu ritmo... 

Quem quiser permanecer em sintonia, é só continuar dançando junto, em um palco completamente novo: o blog Detalhes Intimistas.

Até breve e... obrigada por TUDO! 

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Feliz ano LIVRE!


“Gosto de pessoas e amores inteiros. Porque não sei me dar pela metade nem por partes. Eu transbordo. E, se você também for do time que transborda, vem pra cá.” 

- Clarissa Corrêa -

Meus amigos e leitores, 

Eu teria diversos sentimentos para expressar neste último texto do ano. 

Mas, gostaria de começar com um agradecimento por vocês permanecerem aqui, pertinho, me visitando, lendo e comentando, ainda que eu resolva “sumir” um pouco do mapa e nem sempre retribua o carinho como poderia. 

A presença de cada um me faz sentir que a trajetória vale a pena, mesmo quando há desânimo e cansaço em uma curva qualquer da estrada... 

Meu desejo é de que 2013 seja tão doce e singelo quanto as palavras que vocês me oferecem a cada novo encontro nosso. 

Que a leveza e a liberdade de espírito envolvam os passos da caminhada, de modo a promover melhores decisões e escolhas mais conscientes a todos. 

Que possamos não nos prender a estereótipos, a crenças infundadas e a qualquer outro obstáculo que nos impeça a felicidade!

E, acima de tudo, que estejamos sempre juntos para celebrar a beleza das letras e o dom sensível de escrever.

 

Feliz ano LIVRE, queridos! 

 

Até 2013! 

 

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Here comes the sun!


Hoje brotou uma genuína vontade de recomeçar. De fazer a diferença. De tentar o novo, de novo.

Oferecer a chance ao acaso e insistir no auto-respeito que, afinal de contas, é um dos nossos bens mais preciosos.

Que venha a nova semana e que ela traga variadas possibilidades de fazer tudo muito, muito diferente.

Mas que cada atitude permaneça fiel ao que sentimos e sonhamos!


segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Andar(ilha)...


As coisas podem não estar tão legais assim,
 

Mas é sempre possível um jeito de melhorar...
 

Cansei de brincar de Lego,
 

Não posso mais fingir uma vida de casa de bonecas.
 

Quero encontrar minha essência
 

Quero me achar por aí...
 

sábado, 6 de outubro de 2012

Milésimo ato...


Eu só queria uma chance de te provar que você ainda me ama.
Sei que é insano dizer isso, mas é verdadeiramente o que sinto. 

Não acabou. Na verdade, talvez ainda nem tenha começado. Mas, por favor, me deixa te mostrar que pode ser bom para nós dois. 

Que a vida sorri bem mais quando a gente se dá as mãos. 

Que o sol brilha forte na janela comprovando que somos muito melhores juntos. 

Permite que eu te entregue todo esse amor que existe dentro do meu peito, que nunca foi dedicado a alguém como dediquei a você. 

Me deixa te querer, te acolher, te provar que a vida não é certa nem quadrada, mas é linda do jeitinho que nos é concebida... 

Releva a situação. Dá três passos pra trás. Repensa. Me dá uma chance. 

O mundo ficou mais escuro depois que você quis ir embora do meu coração. 

Me deixa arrumar seu quarto, ajeitar a vida que, a seu ver, parece bagunçada. 

Deixo tudo organizadinho para quando você voltar, pra gente construir um cantinho que tenha a nossa cara. 

Te amo. E não é pouco, nunca foi. 

Você sabe.

sábado, 15 de setembro de 2012

Quando você se foi...


"Queria com as notas te encontrar
E te falar da falta que você me faz
Queria nos meus olhos te mostrar
Que o que sinto por você me deixa em paz..."

(Roberta Campos)

Eu tinha a certeza de você em mim.

E, agora, o que existe ao meu lado é a sua ausência, apesar de qualquer possível nuance de presença.

Confesso que não sei lidar com as mudanças e, a cada tentativa em vão, percebo o quanto sou uma pessoa difícil de me conformar com frustrações.

Você até diz que o que ocorreu não se configura como uma perda, mas meu coração não entende desse modo.

Quando me vejo sozinha e tão vazia do seu alento, penso que tudo o que eu desejaria era ter de volta os abraços, o carinho, a possibilidade, o olhar compartilhado.

Sim, o amor ainda existe, mas segundo suas próprias palavras, que seja bem-vindo o momento de transformá-lo.

Não me preparei para isso. Não guardei reservas-extra de autoestima para sobreviver sem a chance de te encontrar e segurar sua mão.

Hoje, eu queria apenas que a gente tentasse. Nem que fosse para fazer tudo igual de novo. Mas que acontecesse, daquele jeitinho que me tornava a pessoa mais feliz do mundo.

É impossível falar de realidade ou de razão se há sentimentos em jogo.

Tomando como base a minha teimosia, num insistente compasso - já tão conhecido por você -, busco deixar a frustração ir embora.

Levo como aliados a esperança e o sonho de, um dia, ver o desejo pulsante em seus olhos outra vez.